PARTIU RIASCOS

partiu.riascosTudo normal. Cruzeiro venceu o Atlético no Horto, a tal história do caiu lá tá morto… Não cola mais.

Paulo Bento conseguiu, sabe se Deus como, extrair do Arrascaeta o máximo do jogador, fez correr nas veias do uruguaio o sangue dos guerreiros  dos pampas, tipo: Hugo de Léon, Ghiggia, o libertador Artigas, entre outros celebres uruguaios.

Outra coisa a se destacar sobre a atuação do treinador português no banco celeste, é que ele fez uma puta leitura do que é o elenco do Cruzeiro, uma equipe limitado, que precisa se superar no quesito marcação e necessita demais, que a peça que faz as jogadas de criação do time  funcione e muito bem, que foi o que ele justamente conseguiu fazer com o  Arrascaeta, que IMPLODIU o sistema defensivo do rival.

Vamos falar de outros fatores isolados que marcaram o clássico

Lucas. Porra!!! Bicho doido. Segunda expulsão no Brasileirão e por motivos bobos. Jogador é deficiente na marcação, por isso tantas faltas esdruxulas,  que acabam por gerar dois cartões amarelos, culminando em expulsões. Paulo Bento tem que chamar o cidadão no canto e dar uns conselhos ao cabra.

Romero: Psicopata mesmo (rs…) O cara deu pernada, tapa, ponta pé, brigou, correu, raça pura e ainda para finalizar deu uma banda no Donizete. Foi expulso, a torcida foi ao delírio, mas a porrada dada desfalca o time para o próximo compromisso contra o Flamengo. Mas as vezes algumas atitudes precisam ser tomadas, né mesmo?

Bryan: Não deixou o Marcos Rocha se criar, esse gosta de fazer gracinha em clássico, falar muito, o nosso lateral não deu mole, apesar de desfalcar o Cruzeiro contra o Flamengo, a expulsão se justifica. Pode dar mole mesmo não. Mas o jovem lateral ainda precisa melhorar e muito para ser o titular da posição.

Bruno Rodrigo: O zagueirão está de volta. Depois de entregar a paçoca contra o Santa Cruz, Bruno Rodrigo jogou para caralho contra o Rival. Ganhou todas as bolas por cima, por baixo, foi aquele zagueiro que acostumamos a ver em 2013 e de quebra fez o gol da vitória. Falar mais o que

Henrique: MONSTRO, depois do Arrascaeta, foi o grande jogador da partida. Se bem que todo clássico ele detona. Também o volante é cria do Adilson, sabe o que representa vencer esse jogo, gosta de vencer essa partida. Até tretar por causa de um chinelo ele tretou. Que papelão do Fred esconder a prova do crime, vida que segue, faz parte do futebol.

Allano: Sou um critico ferrenho do cidadão, mas… O Cara entrou com sangue nos “oio”, não deixou o lado direito do adversário arrumar porra nenhuma. Marcou muito, saiu para o jogo, deu uma tranquilidade na lateral esquerda do Cruzeiro que eu não esperava. Isso é para glorificar de joelho.

Riascos: Atleticano zoa o cara, mas a média dele contra o rival é fantástica. 4 jogos, 3 gols. Apesar das limitações técnicas, o jogador se movimentou, deu canseira no sistema defensivo, brigou, disputou, foi guerreiro.  Encarnou o espirito do clássico. Ah e colocou fim nesse negócio de: “partiu riascos…” Na hora que tá valendo, para o Cruzeiro, tá valendo e ele balançou as redes .

Bão, clássico é passado, vencemos mais um, NORMAL!!!! Agora é o Flamengo, no Mineirão. Como falou e bem o Paulo Bento, para ele ficar feliz, a equipe tem que repetir o que jogou contra o Atlético.

Aí não só ele, mas todos nós vamos ficar felizões

 

 

Comentários

Comentários

Sobre Programa Rivalizando

Rivalizar é preciso e faz bem

Uma resposta de “PARTIU RIASCOS”

  1. Santos 14 de junho de 2016 at 20:34 #

    É impressionante como ainda tem parte da torcida que se recusa a aceitar o tanto que Henrique melhorou com a chegada do Bento.Continuam pegando no pé dele demais. Já Romero, só do tanto que ele encheu o saco dA donizetA, não me importo da expulsão. Allano como atacante é um excelente zagueiro/lateral! Só acho que Bento tem colocado muito garotos da base ao mesmo tempo em jogos em que precisamos demais do resultado. Ele entrar com Fabrício em vez de Leo foi arriscado por demais! Mesmo que tenha dado certo

Deixar uma resposta