ONDE ENFIARAM AS COMEMORAÇÕES OUSADAS

comemoracoes.ousadasHá quanto tempo não vemos uma comemoração de gol mais ousada heim? Estou me referindo daquelas, sabe? Daquelasssss… que o jogador tirava uma onda com seu adversário e que levava a sua torcida à loucura.

Aposto que na memória do torcedor cruzeirense, veio a imagem do Paulinho Mclaren, do Kleber, talvez até do Anselmo Ramon.

Eu particularmente acho de foder esse tipo de comemoração. Faz parte do espetáculo, principalmente se for em clássico, afinal tem toda uma atmosfera que envolve esse jogo. Muita rivalidade, disputa, paixão, sentimento, a cidade se divide, vive, respira o jogão. Acho fantástico quando sai o gol, o marcador sai para comemorar e da aquela zoada em seu rival, claro, junto a sua torcida, nada de ir para a torcida contrária. A atitude vira matéria, é assunto nos bares, nas repartições, nas redações, nos cafés. Entra para a história e por vários anos o ato é lembrado e reproduzido pelos torcedores.

Antigamente tínhamos vários mestres na arte da provocação. Edmundo, Viola, Edilson, Paulo Nunes, Marcelinho Carioca, Túlio e muitos outros.

Mas pensando bem, esses caras hoje estariam enrolados. O futebol está muito chuchu (não uso o termo coxinha, acho o melhor salgadinho que tem), não só o futebol, o mundo está muito chato. Provavelmente os nobres citados seriam acusados de:

  • Petralhas
  • Tucanistas
  • Coxinhas
  • Rascistas
  • Reaças
  • Sexistas
  • Machistas
  • Homofônicos
  • Comunistas
  • Fascistas
  • De esquerda
  • De direita
  • Golpistas
  • Comedores de mortadela
  • Estupradores
  • Devassos

E mais uma infinidade de rótulos que temos em nossa sociedade atual. Com toda certeza, após a comemoração diferenciada, eles seriam expulsos da partida pelo arbitro, tomariam um gancho de 1 milhão de jogos pelo STJD, seriam apontados nas ruas como seres extraterrestres, teriam que mudar de país, talvez até de planeta.

Exageros à parte, infelizmente a intolerância que foi implantada em nosso país e que foi muito bem absorvida pelos indivíduos que aqui vivem, está matando algumas características que são peculiares do nosso povo, uma delas é a nossa alegria.

Quando limites são impostos em expressões de pura espontaneidade, como a comemoração de um gol, que é o momento máximo do futebol, que leva milhares a loucura, que mexe com o sentimento, com a paixão de tantos, é hora de parar, pensar, analisar o rumo que estamos dando para nossas vidas e dar um reload.

A alegria não pode ter amarras. Por um futebol com mais comemorações ousadas.

Abraço

Rodrigo Genta

Comentários

Comentários

Sobre Programa Rivalizando

Rivalizar é preciso e faz bem

2 Respostas de “ONDE ENFIARAM AS COMEMORAÇÕES OUSADAS”

  1. Dre 23 de Março de 2016 at 11:19 #

    Pq não colocou a q o Tardelli imita uma mocinha ( MARIA) passando maquiagem, seu noGENTA???? kkk

  2. Didi 23 de Março de 2016 at 20:48 #

    Genta, futebol é um esporte passional, zoar ou ridicularizar a paixão de uma pessoa (um filho(a), uma namorada, a mãe, o pai, O CLUBE DO CORAÇÃO…), PODE levar o ofendido / vítima a reagir de uma forma agressiva, doentia, passional. Kleber foi ameaçado de morte, Tardelli também, e vários outros que fizeram provocações / zoações (não apenas jogadores, torcedores tbm) no meio do futebol no mundo todo sofreram com alguma atitude doentia do apaixonado. Futebol é coisa séria, infelizmente não pode ser tratado apenas como entretenimento.

Deixar uma resposta