TEMOS UM TREINADOR E AGORA?

bentoEntão, a diretoria celeste inovou, foi a Portugal e contratou Paulo Bento para treinador do Cruzeiro. O portuga dirigiu entre 2005 e 2009, o Sporting e a Seleção Portuguesa, entre 2010 e 2014, inclusive esteve na Copa do Mundo disputada no Brasil.

Como disse o Jornalista Mamed Filho, correspondente da BBC Brasil em Portugal, o Cruzeiro buscou uma outra escola de treinadores, diferente da que estamos acostumados a lhe dar. Um cara estudioso, conhecedor de táticas, o que diverge de alguns treineros de nossa terra tupiniquim, que são simplesmente “motivadores de vestiário”.

Segundo Mamed e Rui Costa Viegas, jornalista esportivo da Rádio Renascença de Lisboa, Paulo Bento é linha dura com seus comandados, disciplinador, chegando a ser intransigente e inflexível. É de forte personalidade. Teve alguns problemas com atletas no comando da Seleção Portuguesa.

O jogador Ricardo Carvalho, sobre o comando de Bento, abandonou a Seleção. Mas a quem diga que o real motivo para a desistência, é que ao saber que não seria titular da equipe, o jogador teria se rebelado e picado a mula. Outra treta foi com Tiago, que teria abdicado de atuar pelo selecionado português, mas com a saída de Paulo Bento o jogador retornou.

Mas o comandante não é só casca grossa com seus atletas, fala-se que com a imprensa ele também é um “doce”. Lembra muito a educação nórdica que esse humilde jornalista, no caso eu, tenho. É um cavalo.

Dito tudo isso vamos lá. A diretoria, diferente do que fez no caso do Deivid, onde foi covarde e pensou pequeno, dessa vez deu um “up” nas suas aspirações para o ano de 2016. Mas não pode parar de jeito nenhum por aí. Não adianta trazer um treinador que aparentemente é gabaritado e dar para ele, um elenco desqualificado para trabalhar. O Cruzeiro precisa correr atrás de bons jogadores. O time atual está na condição de mediano para fraco.

O clube precisava de um treinador linha dura. Parece que esse elenco está acomodado, os jogadores estão “sussa” demais. O que me preocupa é ele bater de frente com alguns atletas, por exemplo, o Willian. O atacante simplesmente desapareceu na gestão de Luxemburgo. Até que não o culpo 100% pelo fato, os métodos arcaicos do profexor de dar esporros nos atletas para aparecer para a imprensa, eram realmente constrangedores. Mas agora vamos saber qual é a real do jogador, se rende somente quando passam a mão em sua cabeça, ou se mostra serviço quando cobrado. Mas honestamente, não vejo que o novo comandante terá problemas de ordem disciplinar com os atletas. Jogador respeita quem conhece do riscado e acredito que o portuga atenda esse quesito.

Relacionamento com a imprensa, isso sim me preocupa e muito. Nós jornalistas já demonstramos que não nos damos bem com treinadores cascudos. Exemplo: Olha a quantidade de tretas que aconteceram entre Adilson Batista e jornalistas, todo dia tinha uma. Os motivos eram sempre os mesmos, discordância de ideias. Adilson não aceitava alguns questionamentos feitos pelos órgãos de imprensa, ele respondia do jeito que achava que tinha que responder, alguns jornalistas e seus respectivos empregadores se sentiam ofendidos e assim estava criada a guerra.

Atualmente tem acontecido o mesmo no rival. Diego Aguirre tem se mostrado irritado com alguns questionamentos feitos por nós jornalistas e tem sobrado alguns coices para a turma. Consequentemente, tome cacete nos microfones.

Me pergunto: Como vai ser com o Paulo Bento? O cara está acostumado com uma cobertura diferente da imprensa nos clubes de futebol. Na Europa a coisa é um pouco diferente. A imprensa não tem tanto acesso aos clubes, na verdade a atuação dos jornalistas dentro dos CTs é bem restrita. Aqui nossa cobertura é diária e é quase no “corpo a corpo”, no “tête-à-tête”. Vem aí muito trabalho para a assessoria de imprensa do Cruzeiro, será que vão dar conta do recado?

Bão, a diretoria foi ousada, mostrou-se um tanto quanto incompetente para achar um treinador para o clube, mas quando resolveu, o tiro foi certeiro. Isso não garante que Paulo Bento vá dar certo no Cruzeiro, tem o período de adaptação ao futebol brasileiro, ele não conta com um elenco bom para trabalhar, a torcida anda meio de saco cheio e impaciente.

Mas não da para negar que a contratação do português mexeu com o futebol brasileiro e colocou o Cruzeiro novamente no lugar que ele tem que estar, em destaque na mídia nacional.

Vamos aguardar

Mamed Filho - Correspondente BBC Brasil - Portugal

Rui Viegas - Jornalista da Rádio Renascença de Lisboa

Comentários

Comentários

Tags: , , , , , , , , , , ,

Sobre Programa Rivalizando

Rivalizar é preciso e faz bem

Uma resposta de “TEMOS UM TREINADOR E AGORA?”

  1. Santos 14 de maio de 2016 at 17:30 #

    Acho que a torcida terá alguma paciência. Estávamos tão desesperados para tirar o estagiário que, qualquer um que viesse, teria mais paciência para trabalhar. A questão é: quanto tempo vai durar a mesma… Espero que essa diretoria tenha acertado dessa vez..

Deixar uma resposta