SEMIFINAL DO MINEIRO – CAGOU TUDO

Ramon Lisboa/EM/D.A/Press

Ramon Lisboa/EM/D.A/Press

CHOCOLATE, SURRA, SAPECA IAIÁ, essas são definições do que o América aprontou para cima do Cruzeiro no Independência. 2 a 0 no primeiro jogo da semifinal do Mineiro para o coelho.

E ó, 60% da culpa pela derrota é do Deivid, os outros 40% são dos jogadores.  Porque a maior parte da culpa é do treinador?

Primeiro é ele quem da os treinos no dia a dia na Toca, se o time não joga bem a culpa é de quem? Pois é. isso aí eu acho que ninguém vai discordar. Então vamos ao jogo.

Cruzeiro no primeiro tempo dominou a partida, mas foi aquele domínio sem vergonha. O time tocava a bola do lado para trás, chegava vez ou outra sem levar muito perigo ao gol do América. Nada é mais estressante que ver a equipe com esse joguinho burocrático.

Aí vem os 40% dos jogadores. O primeiro gol do coelho foi uma cagada coletiva da zaga do Cruzeiro. Bola alçada para área, jogador adversário deu uma cabeçada para o alto, Cabral e Fábio ficaram naquela, deixa que eu vou e o Adalberto que não tinha nada com isso, meteu o uma bica na bola e fez o gol.

Na volta do intervalo a coisa foi bizarra. Deivid voltou com Elber no lugar do Cabral, que não esteve bem no confronto de hoje. O jovem atacante teve a chance de empatar o jogo logo no início do segundo tempo. Elber recebeu um lançamento primordial, chegou a driblar o goleiro americano, mas mandou a bola para fora.

Bom depois do gol perdido o Cruzeiro voltou para o esqueminha de tocar a bola de forma extremamente irritante, bola do lado para trás, sem objetividade nenhuma, PUTA QUE PARIU, como isso desgraça meu fígado.

Para tentar mudar esse panorama, Deivid aos 10 minutos sacou o foguete molhado… o Arrascaeta (uruguaio sem raça) e sapecou o Pisano e… Apesar do argentino se movimentar mais, nada mudou. O América encaixou a marcação e anulou o sistema ofensivo do Cruzeiro. Elber sumiu, Alisson desapareceu, os laterais não arrumaram nada, nada mesmo (Olha a diretoria precisa imediatamente resolver o problema do setor, tá feia a coisa) e… e… Veio a “jenialidade” do Deivid.

O treineiro sacou o Rafael Silva e colocou o Alano (Hã, hã, como assim????). O time precisando empatar ele saca o atacante e coloca um jogador que não é atacante, nem meia, nem nada! Um atleta que em 23 jogos marcou apenas 1 gol. Porra Deivid! E o Douglas Coutinho? Que merda você pensou? Na coletiva a justificativa foi, que ele, Deivid, acompanha a base e que o Alano la no Rio jogava de atacante. ÁH VAI CAGAR!!!

Bom e aí veio o segundo gol americano, num contra-ataque perfeito do adversário. Se vocês olharem bem o gol, os dois laterais cruzeirenses estavam lá na frente. O Pablo recebeu a bola livre, livrinho na esquerda, Miño devia estar tomando um cafezinho, sei lá onde ele estava, o que eu sei é que ele não estava marcando ninguém. La do outro lado, o Mayke até tentou voltar, tentou, mas não esteve nem próximo de chegar para ajudar na marcação. Ó e o gol foi mais do que merecido, o América já tinha perdido boas oportunidades de ampliar o placar.

A invencibilidade no campeonato foi para as cucuias, a vantagem conquistada por ficar em primeiro na primeira fase da competição também foi para o espaço e se o Cruzeiro quiser chegar à final do Mineiro, vai precisa fazer pelo menos 2 gols no América no segundo jogo da decisão, que acontece no Mineirão. E aí, você acredita?

Bom vamos ver o que o “jênio” Deivid vai arrumar no decorrer dessa semana. Uma dica, já que o comandante gosta tanto de dar treino secreto, faz o seguinte: Leva a turma para um presidio, tranca todo mundo lá, as vezes da certo.

Seja o que Deus quiser.

Comentários

Comentários

Sobre Programa Rivalizando

Rivalizar é preciso e faz bem

Nenhum comentário ainda.

Deixar uma resposta