Respeitem o Fábio

Apremioslgumas pessoas escolhem se calar, outras ficam no muro, esperando para ver para que lado vão cair e tem aquelas que falam o que pensam e estão se lixando para o que as pessoas vão achar, rotular, julgar, me incluo nessa turma.

Portanto la vai! Somos a representação perfeita da imperfeição, contraditório né? Vamos lá. Somos perfeitos nas artes de: Mentir, trapacear, julgar, humilhar, chantagear, ludibriar, manipular, sacanear, esculhambar, puxar tapete, tapear, embromar, burlar, iludir, embromar e muito mais.

Somos perfeitos em nossas imperfeições, ouso dizer que temos mais falhas do que qualidades e ó! Vai piorar! Vivemos a era do mimimi e estamos preparando uma geração que caça Pokemon, resumindo, estamos atolados até o pescoço na merda. Mas voltando ao assunto.

Dentro de tantas imperfeições que nós adquirimos ao longo de nossas vidas, tem uma que é extremamente cruel, a ingratidão. Essa é de lascar, me permita leitor usar uma expressão que utilizo constantemente, é de cair o cu da bunda.

No começo nem dei muita atenção, afinal eram poucos, mas aí a coisa foi tomando corpo, muitos comentando, outros debochando e aí eu fiquei incomodado, eu explico.

Olha é uma sacanagem o que estão fazendo com o goleiro Fábio, uma total falta de respeito. Tenho notado nas redes sociais comentários maldosos, covardes, que não retratam a realidade e o que é pior, de CRUZEIRENSES, porque o nosso rival sabe muito bem o valor do nosso capitão.

Fábio está desde de 2005 defendendo as cores do Cruzeiro, “cumpadi”, são 11 anos de clube, 705 partidas no gol celeste, você conta nos dedos quantos jogadores permaneceram tanto tempo em um mesmo time, ainda mais no futebol de hoje, esporte extremamente mercantilista, onde o amor a camisa ja foi sepultado faz é tempo, o negocio é o dindin, é ele que comanda a bagaça toda.

Já sei! Você vai questionar: “11 anos e custou para conquistar títulos expressivos e os outros que ele entregou?”. Bom vamos por partes.

Muitos culpam o Fábio pelo insucesso na Libertadores de 2009, deixa eu refrescar a sua memória. Se não fosse a belíssima atuação do goleirão, lá em la plata, a peleja tinha ficado… por baixo, uns 3 a 0 para o Estudiantes. O jogo no Mineirão serviria para cumprir tabela.

Em 2011, e eu tenho muita tranquilidade para falar desse assunto, pois vivi de perto tudo que rolou naquele ano maldito, esse cara, que alguns andam debochando, foi peça fundamental para o não rebaixamento do Cruzeiro.

Dentro de campo ele foi um monstro, salvou o time de derrotas em inúmeras partidas, fora de campo, ele assumiu a bronca, era a voz da equipe, não deixou a peteca cair, era o líder daquele grupo, não deixava a turma se abater nos fracassos e muito menos se empolgar nas vitórias, manteve o grupo com os pés no chão. A permanência do Cruzeiro na primeira divisão em 2012, passa muito pela atitude e pelo compromisso do Fábio com o Cruzeiro.

Não cometerei a injustiça de desprezar a importância de cada jogador daquele maldito ano, todos se doaram, se esforçaram, se entregaram para não permitir que o maior clube de Minas Gerais fosse para um lugar que não lhe pertence. Foram homens, honraram a tradição desse gigante que é o Cruzeiro, mas reafirmo, aquele time tinha uma liderança, tinha um cara de atitude, o goleiro Fábio.

Olha amigo, se não ser rebaixado para você não tem valor, para mim é um título. Se o Cruzeiro caísse para segunda divisão do Campeonato Brasileiro, a nossa grandiosa e vitoriosa história seria manchada.

Muitos, para diminuir a importância e a capacidade do goleiro, se utilizam do seguinte argumento: “Fábio nunca ganhou títulos de expressão no Cruzeiro”. Amigão! Arruma outro, porque esse já era. Ele foi o capitão do bicampeonato do Cruzeiro no Brasileirão (2013/14).

Mas não para aí, tem a turma que implica com a religiosidade do cara. A que ponto chegamos! E daí se o Fábio é evangélico? O cara poderia ser budista, católico, espirita, satanista, ateu, sei lá mais que religião existe por aí! O que isso interfere em seu desempenho em campo? E aqui, posso garantir a vocês, ele não leve isso para dentro do grupo, para o vestiário, não tem “igrejinha” com ele não. Inclusive ele é extremamente respeitoso com as outras crenças. Cuca montava um altar de Nossa Senhora no vestiário e eu nunca vi o capitão se quer olhar torto para a santa. Se você não acredita, segue um video aí, veja e tire suas conclusões. 

Andam achincalhando um cara que respeita como poucos o torcedor. Me lembro uma vez que chegaram dois ônibus a Toca II, excursão de colegial, uma meninada da porra. Todos queriam tirar uma foto com Fábio. Ele pediu para organizar uma fila e atendeu a todos, com paciência e um sorriso no rosto. 

Ano passado recebi um pedido de uma mãe, seu filho tinha cancer e as chances do garotinho sobreviver eram mínimas. E o sonho dele era conhecer o Fábio, seu ídolo. Liguei para o goleiro, contei o caso, ele me pediu o endereço da familia do menino, a única exigência que ele fez foi que eu não fizesse a cobertura jornalística da visita.

Bom, passaram-se vários dias e eu me lembrei do caso, liguei para a mãe do garotinho e ela emocionada me agradeceu. Fábio foi a casa do menino e fez a “farra” com ele.

O “problema” do Fábio, é que ele não é um cara de mídia, ele não liga para isso, não tem essa vaidade, o que é um erro. Talvez se ele fosse mais acessível, mais “pop”, as pessoas o veriam com outros olhos, quem sabe até chegaria a seleção. Mas é do cara, ele é assim. Ele acredita que para chegar a alguma conquista tem que ser pelo seu esforço e não por “influências” externas.

Bom pessoal, isso é um cadinho de nada de quem é o Fábio, do que ele representa para o grupo e para o Clube. Não foi farreando que ele chegou a 705 jogos com a camisa do Cruzeiro, foi com muita trabalho, comprometimento, seriedade e principalmente, com muito respeito a entidade.

Respeito você que não gosta do Fábio, você tem todo o direito de não concordar com nada do que escrevi e eu tenho que aceitar, é sua opinião. Mas tenho um pedido a lhe fazer: Reflita sobre as questões que eu pontuei aqui.

Não seja injusto. Vivemos em um país que carece de ídolos, de pessoas que sirvam como exemplo para a juventude, que de alguma forma atinja de forma positiva o seu próximo, que seja uma fonte de inspiração e nós, cruzeirenses, temos um bem debaixo dos nossos narizes.

Não valorize falsos ídolos, prestigie aqueles que realmente amam e se importam com o Cruzeiro e eu lhes garanto, o Fábio é um desses.

Abraços

Rodrigo Genta

Comentários

Comentários

Sobre Programa Rivalizando

Rivalizar é preciso e faz bem

8 Respostas de “Respeitem o Fábio”

  1. Cruzeirense apaixonado 30 de agosto de 2016 at 15:20 #

    Leitão ta em decadência a tempos.
    Um chute um gol, vc deveria toma vergonha na cara, Fábio não é maior que o cruzeiro, pior se tivéssemos qualquer bunda raxada no gol teria sido campeão br 2013~2014. Respeite a torcida é o cruzeiro, ninguém é maior que nosso clube.

    • Programa Rivalizando 30 de agosto de 2016 at 21:48 #

      Acho que você deveria mudar o Nick Namer para Cruzeirense Doido, em que momento falei que ele é maior que o Cruzeiro? Mas eu, diferente de você, sei valorizar os jogadores que realmente honraram e honram a nossa camisa. Só uma pergunta: O que você acha do Sorin?

  2. Don Raposa 30 de agosto de 2016 at 15:37 #

    É o Genta com mais um texto demonstrando a paixão escandalosa que sente pelo goleiro gordo que nunca salvou um título pra gente.
    11 anos com o DNA do Fracasso que só ganhou títulos porque Sr. Ribeiro e Sr. Goulart permitiram.
    Onde você estava naqueles malditos 3 anos iniciais ridículos que o balofo teve no Cruzeiro?
    O que sentiu quando ele tomou aquela merda de gol de costas?
    O que ele fez por nós em 2014 quando fomos vice da Copa do Brasil? NADA!
    Inclusive, quase entregou a paçoca contra o Santos e quase nos tirou a vaga pra final.
    Naquela altura, ele já estava pesando seus 500 quilos.
    E em 2015, o que ele fez?
    Um ano ridículo do obeso que contribuiu, e muito, pra gente ficar naquela situação vergonhosa.
    E não se esqueça que, no mesmo ano de 2015, ele pediu aumento de salário e renovação de contrato enquanto o Cruzeiro estava beirando o Z4.
    Detalhe: o contrato dele só acabaria em Abril do ano seguinte!
    Em 2016, não preciso dizer nada! Um ano mais patético ainda!
    Esse goleiro é de medíocre (mediano) pra baixo que tem seus ótimos dias e nos salva.
    Fora isso, é um nada que jamais tinha que ter pisado no Cruzeiro.
    Pode ter certeza que teríamos mais uns 2 ou 3 títulos importantes se esse balofo de bosta não estivesse como titular há 11 anos do Cruzeiro.
    Desista, Genta!
    Você defende um fracassado que, em esporte individual, não iria ficar nem em último numa competição porque não teria condições nem de se classificar pra ela!
    Poderia escrever muito mais coisa aqui, mas como você uma Fabionete das grandes, não adianta mais tentar reverter essa lavagem cerebral que fizeram em você – ou que você mesmo se submeteu.

    • Programa Rivalizando 30 de agosto de 2016 at 21:51 #

      Não, não é lavagem cerebral não, trabalhei com o cara 4 anos, o conheço bem. Respeito sua opinião, mas não concordo nem com uma linha do que você escreveu.

  3. Klaus 30 de agosto de 2016 at 20:14 #

    Deixa-me ver se entendi bem. Em 12 anos de Cruzeiro, eu devo respeitar um pseudo ídolo que tem como grandes feitos, impedir uma goleada no primeiro jogo de final de Libertadores, sendo esse o único jogo que ele atuou bem, e inclusive devo esquecer as falhas no segundo jogo? Além disso, que ele impediu o nosso rebaixamento em 2011 (há muitas controvérsias nisso)? E que ele foi Bi campeão Brasileiro, mesmo sendo um mero coadjuvante onde até mesmo, Maisena teria sido campeão?

    Poupe-me. Texto mais passional do que racional.

    Fábio está aposentado e espero de coração que nunca mais volte. Nunca fez e atualmente não faz a menor falta, e será sempre lembrado por feitos como:

    1 – Quebrar a série de pelo menos um título por ano do Cruzeiro, devido a falhas grotescas contra a filial Ipatinga (perdoado);

    2 – Ter tomado dois gols da mesma forma e contribuindo diretamente para a eliminação em uma semifinal para um time de 2º divisão, na copa do Brasil;

    3 – Como o goleiro que um dia virou as costas para o rival citadino em uma final de campeonato e de quebra, inventou uma contusão;

    4 – Como o goleiro que falhou no jogo mais importante do Cruzeiro no Mineirão em 2009, saltando inexplicavelmente para dentro do gol;

    5 – Como o goleiro que nos humilhou em 2011, devolvendo a bola propositalmente ao adversário, aumentando assim o nosso sofrimento e vergonha (Cruzeiro 1 x 5
    Flamengo);

    6 – Como o goleiro que forçou o 3º cartão amarelo, fazendo cera para cobrar o tiro de meta, fugindo assim da grande “decisão” na última rodada do Brasileiro de 2011;

    7 – Como o goleiro que se sente ofendido e ameaça torcedores com dedo em riste quando criticado em público, vide episódio no Aeroporto de Confins;

    8 – Como o goleiro que vai a imprensa escrever cartinhas aumentando ainda mais a crise no clube em função de salários atrasados;

    9 – Como o goleiro que saiu sorrindo logo depois de uma eliminação (vergonhosa) na
    Copa do Brasil de 2012, atitude estranha para quem é capitão;

    10 – Como o goleiro que faz declarações arrogantes, após uma falha GROTESCA, se julgando superior aos demais, citando desnecessariamente, mesmo que indiretamente, outros goleiros do país;

    11 – Como o goleiro que não reconhece um erro e ofende suas fãs e desrespeita o clube ao colocar o seu contrato a disposição da diretoria;

    12 – Como o goleiro que sempre mendiga vaga na seleção brasileira;

    13 – Como o goleiro que tem apenas dois títulos importantes, sendo mero coadjuvante.

    14 – Como o goleiro que sempre inventa propostas de outras equipes (inclusive o Atlético Mineiro) para ter seu contrato renovado;

    15 – Como o goleiro que possui o recorde de mais gols levados por outro goleiro;

    16 – Como o goleiro que se julga maior que o clube e critica protesto de torcedores, e diz de forma arrogante que só lhe resta orar por eles;

    17 – Como o goleiro que não tem ética, não tem escrúpulo, mistura religião com futebol e se esconde atrás de uma face de bom cristão;

    18 – Como o goleiro que tem média de quase dois gols por partida;

    19 – Como o goleiro que aposentará no Cruzeiro e antes disso acontecer, com certeza levará o gol de número 1000;

    20 – E por fim, que além de ser o menor entre os três goleiros do clube, agora está gordo e sem reflexo.

  4. Fernando 30 de agosto de 2016 at 22:00 #

    Vamos respeitar o “ídolo” que deu entrevista dizendo que jogaria nas frangas sim.
    Espera sentado aí, amigão

  5. T. Silva 31 de agosto de 2016 at 15:18 #

    Belo texto, Genta.

    Fábio realmente é um ser humano que merece respeito.A relação dele com a torcida (como no caso que vc citou) é bastante correta, também já ouvi várias histórias desse tipo (Ano passado, por exemplo, após o jogo contra o River na argentina pela Libertadores, foi fazer visita na pediatria da Santa Casa no dia seguinte, sua folga).

    Nos dois primeiros anos no Cruzeiro, ele acumulou erros (como a eliminação da Copa do Brasil e o gol de costas na final do mineiro), e quase foi queimado em definitivo.

    Deu a volta por cima, e fez grandes exibições com a camisa do Cruzeiro, salvando o time em inúmeras oportunidades (de 2008 em diante ele foi monstro e só não foi convocado para a seleção por causa de “forças ocultas”)

    Fábio é ídolo, líder, mas tecnicamente já se mostra em declínio há uns dois anos. Acho que ele merece sim respeito, mas também já é hora de dar oportunidade ao Rafael (que vem abraçando bem essa oportunidade), de modo a dar continuidade no gol.

    Nos últimos jogos, estamos vendo que o real craque debaixo das traves é mesmo o preparador de goleiros Robertinho, tendo em vista que Lucas França e Rafael não sentiram a pressão de substituir o capitão.

  6. Barcelos 24 de outubro de 2016 at 07:20 #

    Alguém aqui está sentindo falta do inútil Fábio?

Deixar uma resposta