O QUE O CRUZEIRO REALMENTE QUER PARA 2016?

rafa_1Infelizmente, nesse ano, o Cruzeiro está vivendo um período de extremos: dentro e fora de campo.

A pergunta que me faço é: O que o Cruzeiro realmente quer para 2016?

SOBRE O TÉCNICO:

Com a saída do Mano Meneses (com a burra de dinheiro que tacaram nele, se ele ficasse eu duvidaria da inteligência dele para treinar o time… tinha que ir mesmo) a opção da diretoria foi de efetivar o Deivid. Foi uma aposta e está sendo uma aposta.

Por mais que digam que o Campeonato Mineiro seja para “testar” e “aprontar um time para as grandes competições”, para mim, essa coisa chamada de campeonato estadual só presta mesmo para gerar crise. No campeonato mineiro, com exceção dos clássicos, geralmente são jogos de ataque contra defesa com os times do interior vindo mais fechados que cu de micróbio. Ganhar é praticamente obrigação. Se não ganha a faca cola no pescoço.

Acontece que o Deivid está abusando no quesito “testar”. Cada jogo é uma escalação. Cada jogo é um que falha. Tem que criar um padrão e tentar jogar dentro dele. O simples é mais, muitas das vezes.

Tentar criar um novo Cruzeiro com muitas das mesmas peças do ano passado vem sendo um erro do atual treinador que jogou para o alto tudo que o Mano Meneses construiu na equipe do Cruzeiro.

Talvez o Deivid não esteja maduro suficiente para assumir o Cruzeiro hoje…

Quando digo “talvez” é porque nem eu sei, até hoje, se o Deivid merece ou não rodar com tão pouco tempo à frente e com vários jogadores recém contratados ainda por estrear…

Talvez, com os nomes de mercado existentes, seja melhor manter a aposta… Talvez, manter o Deivid seja um retrocesso na medida em que um treinador com mais bagagem poderia ter usado o mineiro para, realmente, colocar o Cruzeiro no eixo…

Sinceramente, não sei dizer se o mesmo vingará ou não. Só o tempo dirá se o mesmo merece ou mereceu o tempo vivido no comando do Cruzeiro.

Só torço para que o tempo não seja cruel com a aposta assumida pelo Cruzeiro.

SOBRE O ELENCO:

Nosso time de hoje não tem ídolo e não tem ninguém que queira assumir como protagonista.

Nosso time é formado de muita gente passível de ganhar o “Oscar” de melhor ator coadjuvante. Muito menino que tem e mostrou bola nas categorias de base, mas, que no profissional ainda não deram dois passos nessa longa e pesada estrada do profissional. Atualmente, no elenco atual não vejo ninguém que queira assumir protagonismo.

Sem um bom ator principal, nem mesmo há como esses pretensos concorrentes ao “Oscar de ator coadjuvante” de brilharem. Precisamos de um fora de série para catalisar o talento.

Não arrumar um jogador principal que, além de importar em incremento técnico ao elenco, serviria também para blindar os “bons coadjuvantes” e até mesmo ajuda-los a crescer e galgar melhores condições no elenco e no próprio futebol.

Não considero o goleiro do Cruzeiro como ídolo, muito menos o Bigode. Ambos pela falta de postura em campo e principalmente diante dos grandes jogos. Quando a coisa aperta ninguém do atual elenco apresenta para dar a cara a tapa ou chamar o jogo. Falta estrela.

Nem mesmo a colocação do nosso goleiro como capitão eu concordo. As vezes o pau quebra no jogo e é preciso que alguém de linha chame o juiz na chincha. Como na maioria das vezes o atual capitão está distante, nosso time se perde nesses casos. Ainda que seja ídolo para alguns, tenha recorde de jogos, o mesmo, dentro de campo não tem o perfil para cobrar dos outros jogadores e até mesmo do trio de arbitragem quando o jogo aperta.

Quem poderia ser essa estrela? Eis o abacaxi que a Diretoria tem que descascar. Pelo bem do time e do potencial dos bons coadjuvantes que temos.

Com o que temos no atual elenco e postura, a meu ver, não há cenário de céu de brigadeiro para as competições mais cascudas como o Brasileiro e Copa do Brasil.

SOBRE A DIRETORIA:

Parece que o Dr. Gilvan voltou a querer centralizar as coisas…

Apuramos que várias contratações foram vetadas porque o presidente simplesmente não quis, pronto e acabou.

Precisamos de laterais e um nove de área bons, mas, para o presidente, parece que a coisa está boa.

Bruno Vicintin parece estar de pés e mãos atados diante do excesso de centralização de poder do presidente celeste. O mesmo vetou várias contratações sugeridas pelo Vicintin.

Parece que o Gilvan só quer o Vicintin por perto para blindá-lo. Primeiro por fazer um excelente trabalho de enxugamento de elenco (de setenta e tantos jogadores vinculados à nossa folha, Vicintin e Scuro reduziram a números mais razoáveis a uma folha de futebol profissional), segundo por ter ido dar a cara a tapa na explicação (ou tentativa) do caso Benecy que demandava uma postura imediata e conduzida pelo próprio Gilvan, que preferiu colocar o do Bruno na reta.

Ou o presidente Gilvan deixa de centralizar demais todas as questões, ou poderá, em breve ver mais um sair do seu staff…

O que o Cruzeiro realmente quer para 2016?

Comentários

Comentários

Tags: , , , , , , , , , , , , ,

Sobre Programa Rivalizando

Rivalizar é preciso e faz bem

7 Respostas de “O QUE O CRUZEIRO REALMENTE QUER PARA 2016?”

  1. Alex Atanazio 18 de fevereiro de 2016 at 21:59 #

    Primeiro parabéns a todos vcs do Rivalizando, sou fã do programa e dá idéia torcedor para torcedor.

    Sobre o 2016 concordo com tudo que VC colocou sobre o Deivid. Antes ele do que um Abel Braga, Geninho, Vágner Mancini e outros tapa buracos do futebol brasileiro. Embora ainda o Deivid aí meu ver é mais estagiário do que técnico

    Os jogadores são promessas e os mais experientes nunca foram jogadores principais de seus times.

    Estou assustado com a falta de referência 2012 time do Roth havia Tinga, Souza, Borges, Ceará jogadores rodados e acostumados a jogar e suportar a pressão.

    Sobre a diretoria eu penso que o Bruno neste caso deveria se impor mais, a do Maxwell é a pior notícia que VC deu Rafa porque a ameba Fabrício está acabando com o Cruzeiro. Laterais não temos, nem poste deve ser tão ruins quanto Fabiano e Fabrício.

    No mais todo sucesso para vocês e vamos rivalizar!

    Abraço!

  2. Ricardo Erbiste 18 de fevereiro de 2016 at 23:16 #

    Concordo com a colocação em relação ao técnico Daivd, o cara não tem a experiência necessária para conduzir um time do tamanho do Cruzeiro, prova disso é o que foi citado a respeito de não tentar montar uma equipe principal, sempre testar jogadores diferentes a cada jogo.
    A respeito do elenco realmente o time está precisando de um jogador que tenha postura de líder.
    O presidente nunca vai mudar ele sempre vai ter esta postura de centralização, parece que não confia na equipe que ele comanda.
    As colocações foram muito bem feitas mostra a realidade do clube parabéns!

  3. Leonardo Monteiro 18 de fevereiro de 2016 at 23:25 #

    Concordo em gênero, número e grau! Será que só nós torcedores é que percebemos isso? Acorda diretoria! Nosso Departamento de Marketing é uma piada de mal gosto! Inadmissível ser bi-campeão e encontrar dificuldade em conseguir patrocínio! Recebemos no máximo a mesma cota do time de listras, mesmo tendo torcida maior que a deles. Fornecedora da material esportivo de qualidade e nível mundial, raramente procura o Cruzeiro! Adidas passa longe do clube, infelizmente! Enquanto isso, o time de listras conseguiu um contrato maior que o nosso! Sem contar que a Atletisia, a Rede Globo e o Superesportes funcionam como Departamento de Marketing do time listrado e a diretoria do Cruzeiro nada faz! Acorda Cruzeiro! Somos maiores! Em que ponto chegamos…

  4. Renato Yagi 18 de fevereiro de 2016 at 23:37 #

    Sou fã do programa que é descontraído, divertido e natural, em especial o Rafael Pena. Quanto ao Cruzeiro, falta um líder, falta referência. Deivid já está sentindo a pressão e apesar de ter apenas iniciado seu trabalho, será duplamente cobrado por já conhecer o grupo. Talvez caia antes do inicio do BrasileiraoParabéns Rivalizando!!!!

  5. Rodrigo Rodrgues 19 de fevereiro de 2016 at 08:21 #

    Falou tudo. O Cruzeiro não pode entrar nas competições para participar. É hora de colocar as coisas no rumo. Parabéns pela reflexão Rafael Pena.

  6. Eduardo Valadão 19 de fevereiro de 2016 at 08:36 #

    O início de temporada é um período de instabilidade para muitos clubes, mas sinceramente, não estou conseguindo visualizar evolução nesse time do Cruzeiro. Acho que já está na hora da diretoria acender a luz de alerta. Se realmente não for o momento do Deivid é reconhecer isso e agir o quanto antes, para não repetirmos a temporada de 2015 e só participar. Não temos bons laterais, já deu pra perceber que não podemos depender deles. No meio acho precipitado falar, pois existem muitas opções, mas tem que enxergar logo a real situação. Se não der com o que tem no elenco, é sair e contratar, a torcida sempre da o retorno.
    No mais é isso, confiar e ir ao campo apoiar. Que a diretoria tenha competência ao trabalhar.
    Parabéns ao programa! Usam a linguagem do torcedor!!
    Maior de Minas, tamo junto!!!

  7. Santos 19 de fevereiro de 2016 at 14:09 #

    O que ele quer? Fuder com a torcida, só pode! Já não basta um ano de sofrimento, teremos que ter dois seguidos. #TiremEsseEstagiário!!!

Deixar uma resposta