CLÁSSICO É CLÁSSICO, ALGUÉM DUVIDA?

classicoVem aí mais um clássico E FODA-SE se a FMF, juntamente com os clubes, cagaram na escolha da data do jogão. O jogador do Cruzeiro que estiver em campo, tem que entrar com sangue nos olhos, com a faca nos dentes e fazer o que for possível e o impossível para derrotar o rival.

E tem mais!!! Esse jogo além de valer a liderança do estadual, é primordial para o Deivid, vale a sua manutenção a frente do comando celeste. Falam na boca miúda, que os dirigentes estão esperando o treinador dar uma mijadinha fora da “paia” para o colocarem para correr.

Então a vitória no clássico representa para o Deivid ganhar umas “lifes” no game “Dead Coach” e para a China Azul, alegria por mais um triunfo em cima do rival, dar uma boa zoada no torcedor adversário e prolongar o sofrimento, estou me referindo ao nosso time, que anda muito mal treinado. Mas quero continuar sofrendo, não da para torcer contra o Cruzeiro, ainda mais nesse jogo.

Se eu sou o Deivid eu entraria com o seguinte time: Fábio, Fabiano, Manoel, Bruno Rodrigo e Fabricio. Henrique, Romero, Ariel Cabral e Miño. Elber e Rafael Silva. Deixa eu explicar o porquê dessas escolhas.

O Fabrício tem sérias deficiências para defender, mas é um jogador que chega com facilidade a frente, ele prenderia as subidas do Marcos Rocha e ainda daria mais uma opção de ataque para o Deivid. Lá atrás, Henrique e Romero teriam que fazer valer o que ganham para cobrir o setor do lateral.

É inegável a lentidão do Ariel Cabral, como também é inegável a sua qualidade no passe, talvez ele seja o melhor nesse quesito dentro do elenco do Cruzeiro. Então ao meu ver, o volante é imprescindível nesse jogo. Ele vai ser o cara que vai “achar” aquela jogada para os nossos atacantes, como o Rival joga muito na correria, é ele que tem qualidade para cadenciar o jogo. Guardaria o Marciel para o segundo tempo. O volante é um bom jogador, chega ao ataque com facilidade, tem um bom chute de fora da área, mas ainda precisa evoluir muito na marcação e qualificar seu passe.

Não gosto do futebol do Miño, acho ele um jogador limitado, erra passes de 2 metros, pouco criativo, mas é voluntarioso. Tenta compensar suas limitações com muito empenho. Corre o tempo todo e ajuda muito os volantes na marcação. Prefiro ver ele no meio, que é sua posição de origem, do que improvisar o Pisano no setor. Lembrando que argentino baixinho e jogador de ataque, de beirada de campo, ele não joga pelo meio.

O Elber é quase uma decisão lógica. Ele tem praticamente as mesmas características do Alisson. Driblador, velocista, parte para cima dos seus adversários, a diferença é que ele cai pela esquerda. Ele e o Rafael Silva terão que se movimentar muito para criar espaços no sistema ofensivo do Atlético, que é um dos pontos fortes do rival.

Cruzeiro tem que aproveitar dos 8 desfalques do adversário e ir para cima, fazer valer seu jogo, se impor. Não tem dessa de estar jogando no campo do adversário, jogador que veste a camisa celeste não tem que sentir pressão de torcida.

Essa partida pode ser um divisor de águas dentro do Cruzeiro, uma vitória pode dar a afirmação que a equipe tanto busca. Pode ser a conquista da paz que Deivid tanto almeja, ou então amigo… a passagem de ida para o inferno e sem volta.

Abraços

Rodrigo Genta

Comentários

Comentários

Sobre Programa Rivalizando

Rivalizar é preciso e faz bem

Nenhum comentário ainda.

Deixar uma resposta